Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

WASHINGTON/SAN FRANCISCO (Reuters) - Dezoito Estados norte-americanos entraram com processo nesta sexta-feira contra o governo do presidente Donald Trump para impedi-lo de acabar com uma parte chave do Obamacare, os subsídios que ajudam milhões de pessoas de baixa renda a pagar os gastos médicos, apesar de Trump ter convidado os líderes democratas para negociar um acordo.

Um dia depois de seu governo ter anunciado planos para terminar com os pagamentos na semana que vem, Trump disse que desmantelaria o Obamacare “passo a passo”.

A sua mais recente ação criou preocupações com a possibilidade de caos nos mercados de seguro. Os subsídios custam 7 bilhões de dólares neste ano e estão estimados em dez bilhões para 2018, de acordo com especialistas do Congresso.

"No que diz respeito a subsídios, eu não quero fazer as empresas de seguro ricas”, disse Trump à imprensa na Casa Branca. “Eles estão fazendo uma fortuna pegando esse tipo de dinheiro.”

A ação de Trump tem como um alvo um componente crítico da lei de 2010, política marcante do seu antecessor, Barack Obama. Frustrado com o fracasso dos seus colegas republicanos, que controlam o Congresso, em revogar e substituir o Obamacare, Trump tem adotado iniciativas para se livrar gradualmente do programa.

Democratas acusam o presidente de sabotar a lei.

(Por Yasmeen Abutaleb e Dan Levine)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters