Reuters internacional

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. discursa durante formatura de alunos da Academia da Guarda Costeira em Nova Londres, Connecticut 17/05/2017 REUTERS/Kevin Lamarque

(reuters_tickers)

Por Arshad Mohammed e Yeganeh Torbati

WASHINGTON (Reuters) - O governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que criticou duramente o acordo nuclear do Irã quando era candidato, vai estender nesta quarta-feira o alívio de sanções para o país, que é parte do pacto de 2015, disseram duas autoridades norte-americanas à Reuters.

As autoridades, que falaram sob condição de anonimato, disseram que o governo vai anunciar formalmente que está renovando a isenção de sanções que foram dadas ao Irã como parte do acordo, pelo qual Teerã concordou em limitar seu programa nuclear.

Um porta-voz do Departamento de Estado dos EUA não quis comentar sobre o assunto.

O governo do ex-presidente norte-americano Barack Obama renovou uma série de isenções para sanções dos EUA ao Irã em meados de janeiro de 2017, logo antes de deixar o cargo. Algumas dessas isenções teriam terminado nessa semana se Trump não tivesse decidido renová-las novamente.

A decisão de renovar as isenções representa uma importante escolha política inicial sobre o acordo nuclear para o governo de Trump e indica que, apesar de algumas promessas durante a campanha presidencial de 2016 de "desmontar o acordo desastroso com o Irã", Trump decidiu, pelo menos por enquanto, mantê-lo.

As isenções vêm antes da eleição presidencial do Irã na sexta-feira, na qual o presidente Hassan Rouhani, um clérigo pragmático cujo governo negociou o acordo nuclear, está enfrentando um opositor conservador e tentando convencer os eleitores de que pode cumprir as promessas de crescimento econômico.

Reuters

 Reuters internacional