Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos acusaram uma empresa sediada na China de ser uma fachada para lavar dinheiro para um banco da Coreia do Norte que é alvo de sanções, e apresentou uma queixa pedindo 1,9 milhão de dólares da companhia, disseram procuradores norte-americanos na quinta-feira.

A Mingzheng International Trading Limited facilitou transações em dólar proibidas através dos EUA em nome do banco norte-coreano Foreign Trade Bank e lavou os rendimentos, disse a Procuradoria do Distrito de Columbia em um comunicado.

A ação de confisco "representa uma das maiores apreensões de fundos norte-coreano feitas pelo Departamento de Justiça", informou.

A quantia foi movimentada em 2015 pela Mingzheng, sediada na cidade chinesa de Shenyang, por meio de transferências eletrônicas usando suas contas de banco chinesas, segundo o comunicado.

A Mingzheng não estava disponível de imediato para comentar.

Em março de 2013, o Departamento do Tesouro dos EUA submeteu o Foreign Trade Bank a sanções ligadas à proliferação de armas de destruição em massa. O Tesouro descreveu o banco como uma entidade estatal que "age como o principal banco de moeda estrangeira da Coreia do Norte", de acordo com o comunicado dos procuradores norte-americanos.  

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Lu Kang, disse que seu país se opõe em princípio ao emprego de sanções unilaterais fora do âmbito das resoluções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

"O banco de comércio exterior mencionado pelos Estados Unidos não está na lista de sanções da ONU para a Coreia do Norte, por isso nos opomos a que qualquer país use suas assim chamadas leis domésticas para implantar uma jurisdição de grande abrangência", disse ele em um boletim periódico à imprensa.

(Reportagem da redação de Washington; Reportagem adicional de Christian Shepherd, em Pequim)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters