Reuters internacional

Um agente da Alfândega entrevista pessoas entrando nos Estados Unidos. 14/10/2016 REUTERS/Mike Blake

(reuters_tickers)

Por Yeganeh Torbati

WASHINGTON (Reuters) - O governo Donald Trump lançou um novo questionário a ser preenchido por pessoas que solicitam um visto norte-americano em todo o mundo que pede por dados de redes sociais dos últimos cinco anos e informações pessoais de até 15 anos atrás.

As novas perguntas, que fazem parte de um esforço para tornar mais rígida a verificação de potenciais visitantes dos Estados Unidos, foram aprovadas em 23 de maio pelo Escritório de Gestão e Orçamento, apesar de críticas de diversas autoridades de educação e grupos acadêmicos durante um período de debate público.

Críticos argumentaram que as novas perguntas seriam excessivamente incômodas, levariam a longos atrasos no processo de obtenção de visto e ao desencorajamento de estudantes e cientistas internacionais ante os Estados Unidos.

De acordo com os novos procedimentos, autoridades consulares podem requisitar aos solicitantes de visto todos os números de passaportes anteriores, cinco anos de dados de redes sociais, endereços de e-mail e números de telefone e até 15 anos de informações pessoais incluindo endereços e histórico de empregos e viagens.

As autoridades requisitarão as informações adicionais quando determinarem que "essas informações são necessárias para confirmar a identidade ou conduzir uma verificação de segurança nacional mais rigorosa", informou uma autoridade do Departamento de Estado na quarta-feira.

O Departamento disse anteriormente que a verificação mais rígida se aplicaria a solicitantes "que justificaram a investigação adicional em conexão com terrorismo, ou outra inviabilidade de visto relacionada à segurança nacional".

Reuters

 Reuters internacional