Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos disseram nesta quarta-feira que relatos confiáveis mostram que a Rússia tentou interferir nas eleições de Montenegro em outubro do ano passado, que se tornou formalmente membro da Otan nessa semana.

A acusação veio no momento em que o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, se encontra com autoridades russas em Moscou e em que o presidente norte-americano se prepara para encontrar com o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte, Jens Stoltenberg, na Casa Branca.

"Nós estamos muito preocupados com a interferência russa nas eleições de outubro em Montenegro, incluindo relatos confiáveis de apoio russo a uma tentativa de ataque ao governo no dia da eleição", disse uma autoridade da Casa Branca a repórteres antes da visita de Stoltenberg.

A autoridade disse que Washington apoia esforços de investigação por parte de autoridades de Montenegro.

Trump assinou documentos de ratificação na terça-feira aceitando Montenegro na Otan.

Um promotor especial da antiga República da Iugoslávia disse em novembro que um grupo de "nacionalistas russos" tinha planejado assassinar o primeiro-ministro Milo Djukanovic para levar o partido de oposição ao poder.

Moscou negou envolvimento em qualquer plano, e os partidos de oposição disseram que o enredo foi inventado e acusaram Djukanovic de usar serviços de segurança para ajudar a estender seu domínio de um quarto de século.

(Reportagem de Steve Holland)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters