Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Tom Miles

GENEBRA (Reuters) - Os Estados Unidos e a França exortaram a Rússia nesta quarta-feira a conduzir a delegação do presidente da Síria, Bashar al-Assad, às conversas de paz em Genebra depois que discussões sobre o encerramento da guerra de seis anos terminaram sem sinal de que o governo comparecerá.

A oitava rodada de negociações começou na semana passada, e após alguns dias sem nenhum progresso aparente, o enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Síria, Staffan de Mistura, disse que a delegação governamental liderada por Bashar al-Ja'afari estava voltando a Damasco para "consultas e descanso".

De Mistura acreditava que as conversas recomeçariam "por volta da terça-feira", 5 de dezembro, mas Ja'afari deixou Genebra no sábado e disse que pode não voltar porque a oposição afirmou que Assad não pode ter nenhum papel em um futuro governo provisório.

Uma fonte próxima da equipe de negociação do governo sírio disse à Reuters que a delegação ainda estava em Damasco nesta quarta-feira.

"Dissemos aos russos que é importante que o regime sírio esteja na mesa e seja parte destas negociações e parte da discussão", disse o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, em uma coletiva de imprensa em Bruxelas. "Deixamos para os russos que os levem à mesa".    Um diplomata de Genebra disse ser provável, mas não confirmado, que a delegação volte à cidade suíça na sexta-feira. A agência de notícias russa RIA citou uma fonte não identificada segundo a qual eles chegarão no domingo ou na segunda-feira.    As autoridades sírias não disseram se Ja'afari voltará para as conversas, mas na segunda-feira o porta-voz da oposição, Yahya al-Aridi, disse que um boicote do governo seria "um constrangimento para a Rússia", que está determinada a ver um fim negociado para a guerra.    A equipe de negociação da oposição chegou aos escritórios da ONU em Genebra na manhã desta quarta-feira para retomar as conversas com De Mistura, que no final da terça-feira não quis comentar quando indagado sobre a ausência dos negociadores de Ja'afari.

"É preciso duas pessoas para dançar, mas ao mesmo tempo você precisa conversar com a outra parte", disse Aridi aos repórteres nesta quarta-feira. "Se eles estiverem bastante sérios sobre levar a paz à Síria, bem, então deveriam aparecer".    A França, apoiadora essencial dos opositores sírios, acusou Damasco de impedir o esforço liderado pela ONU e de se recusar a se envolver de boa fé para obter uma solução política.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters