Navigation

EUA e Sudão negociam sobre conversão cristã de sudanesa, dizem fontes

Este conteúdo foi publicado em 28. junho 2014 - 19:38

CARTUM (Reuters) - Autoridades sudanesas e dos Estados Unidos em Cartum estão negociando a permissão para que uma mulher sudanesa, que se casou com um norte-americano e foi recentemente poupada da pena de morte por se converter ao cristianismo, deixe o Sudão, disseram fontes próximas ao caso.

Mariam Yahya Ibrahim, de 27 anos, foi detida no aeroporto de Cartum na terça-feira, um dia depois de um tribunal de apelações ter anulado uma sentença de morte por ela ter se convertido do islamismo para o cristianismo a fim de se casar com o marido cristão norte-americano.

O advogado de Mariam, Mohaned Mostafa, disse que a cliente, seu marido e seus dois filhos foram todos para a embaixada dos EUA em Cartum desde sua libertação, que foi concedida com a condição de que permanecesse no Sudão.

"Há negociações em curso entre as autoridades sudanesas e norte-americanas para tentar encontrar uma maneira de Mariam e sua família deixarem o país", disse uma fonte próxima ao caso, pedindo para não ser identificada por não estar autorizada a falar com a mídia.

Mariam foi detida na terça-feira por tentar usar documentos emitidos pela embaixada do Sudão do Sul para voar para fora de Cartum com o marido e filhos.

Apesar de abrir mão da sentença de morte após enorme pressão internacional, o Sudão ainda não aceita a nova identidade de Mariam como cristã sul-sudanesa porque não reconhece seu casamento. As mulheres muçulmanas não têm permissão para se casarem com cristãos sob as leis islâmicas vigentes no Sudão.

(Por Maaz Alnugomi)

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.