Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, em mesquita de Mosul, em imagem publicada na internet 05/07/2014 REUTERS/Rede social via Reuters TV

(reuters_tickers)

WASHINGTON (Reuters) - O secretário de Defesa norte-americano, Jim Mattis, disse nesta sexta-feira que os Estados Unidos não podem provar se o líder máximo do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, está morto.

No início dessa semana, o Observatório Sírio para Direitos Humanos disse ter "confirmado a informação" de que Baghdadi foi morto, mas autoridades do Ocidente e do Iraque se mostraram céticas.

"Se nós soubéssemos, nós diríamos. Agora, eu não posso confirmar ou negar", disse Mattis. "Nossa abordagem é que nós presumimos que ele está vivo até que seja provado o contrário, e agora, eu não posso provar o contrário."

Mattis acrescentou que um cessar-fogo no sudoeste da Síria está resistindo até agora.

Estados Unidos, Rússia e Jordânia anunciaram o cessar-fogo e um "acordo de desescalada" para o sudoeste do país após um encontro entre os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin, em uma cúpula do G20 em Hamburgo, na Alemanha.

(Reportagem de Idrees Ali)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










Reuters