Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos pressionam o Paquistão para que amplie a ofensiva contra os militantes do Taliban e da Al Qaeda, alertando que o sucesso de sua nova estratégia para o Afeganistão depende disso, segundo o New York Times.
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deve anunciar nas próximas semanas uma estratégia revisada para o Afeganistão que incluirá o envio de até 40 mil tropas a mais para lutar na guerra que já dura oito anos.
Obama enviou uma carta ao presidente paquistanês, Asif Ali Zardari, dizendo esperar que ele reforce as instituições de segurança política e nacional em uma campanha unida contra os extremistas, segundo o Times, citando um oficial norte-americano que foi informado sobre o conteúdo da carta.
Em sua carta a Zardari, Obama ofereceu uma leva de novos incentivos aos paquistaneses por sua cooperação, incluindo reforço na inteligência compartilhada e cooperação militar, apontou o Times.
O artigo afirma que a carta foi entregue pelo conselheiro de segurança nacional de Obama, o general James Jones, que teve encontros com o governo paquistanês e líderes militares na sexta-feira em Islamabad.
Jones alertou as autoridades paquistanesas de que a nova estratégia de Washington para o Afeganistão só funcionará se o Paquistão ampliar sua luta para além dos militantes atacando suas cidades para grupos usando portos no Paquistão para realizar ataques contra tropas norte-americanas no Afeganisto, colocou o Times, citando autoridades norte-americanas em conversas confidenciais.
(Reportagem de JoAnne Allen)

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters