Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

CABUL (Reuters) - Um comandante de alta patente dos Estados Unidos no Afeganistão pediu desculpas nesta quarta-feira por um panfleto "altamente ofensivo" que continha uma passagem do Corão usada no estandarte do Taliban sobreposta à imagem de um cão.

O islamismo considera o cão um animal impuro, e associá-lo a um dos textos mais sagrados da religião causou indignação. O Taliban disse que o panfleto mostrou o "ódio" norte-americano pelo islã.

A imagem, distribuída por forças dos EUA na província de Parwan, no norte de Cabul, na terça-feira, mostrava um cão branco com uma parte do estandarte do Taliban sobreposta em sua lateral. O panfleto continha uma passagem do Corão em árabe.

"O desenho dos panfletos continha, por engano, uma imagem altamente ofensiva tanto para os muçulmanos quanto para a religião do islã", disse o major-general James Linder em um comunicado.

"Peço desculpas sinceras. Temos o mais profundo respeito pelo islã e por nossos parceiros muçulmanos em todo o mundo", afirmou, acrescentando que uma investigação será realizada "para determinar a causa deste incidente e para responsabilizar a parte culpada".

O governador de Parwan, Mohammad Hasem, condenou o panfleto, que classificou como "imperdoável".

"Aqueles que cometeram este erro imperdoável de publicidade, propaganda ou seção de mídia nas forças da coalizão serão julgados e punidos".

O incidente enfatiza um dos desafios das forças internacionais no Afeganistão, a maioria das quais é de culturas não-muçulmanas, apesar do empenho que as forças ocidentais têm feito para evitar atiçar a rejeição a estrangeiros.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters