Navigation

Europa está "ferrada" se seu Parlamento se limitar a Bruxelas, diz Macron

Presidente da França, Emmanuel Macron, durante visita a Lituânia 28/09/2020 REUTERS/Ints Kalnins reuters_tickers
Este conteúdo foi publicado em 29. setembro 2020 - 15:38

PARIS (Reuters) - A Europa está "ferrada" se o Parlamento Europeu parar de se reunir na cidade francesa de Estrasburgo uma vez por mês e só se reunir em Bruxelas, disse o presidente da França, Emmanuel Macron, nesta terça-feira.

"Neste momento, estou lutando com unhas e dentes pela ideia de que o Parlamento Europeu deveria se reunir em Estrasburgo", disse Macron a universitário em Vilnius, capital da Lituânia.

"Se aceitarmos que o Parlamento Europeu só se reúna em Bruxelas, estamos ferrados, porque em 10 anos tudo acontecerá em Bruxelas e as pessoas só conversarão entre si em Bruxelas", acrescentou.

Na semana passada, Macron se queixou em uma carta ao presidente do Parlamento Europeu a respeito da decisão da assembleia de só realizar sessões em Bruxelas por ora devido à pandemia de coronavírus.

Em tempos normais, os parlamentares se reúnem em Estrasburgo por uma semana a cada mês e na cidade belga de Bruxelas nas restantes. A movimentação mensal custa ao bloco 114 milhões de euros por ano, disseram auditores da União Europeia.

Críticos pedem há tempos que o arranjo seja descartado, mas ele vem sendo mantido principalmente porque a França vetaria qualquer tentativa de fazer as emendas necessárias no tratado da UE.

A França diz que Estrasburgo, que faz divisa com a Alemanha, é um símbolo da reconciliação europeia do pós-guerra e que as instituições do continente não deveriam estar todas centralizadas em uma cidade.

(Por Michel Rose)

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.