Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

HOUSTON, EUA (Reuters) - O Exército dos Estados Unidos acusou formalmente de homicídio o psiquiatra que teria matado 13 pessoas em um ataque na base militar de Fort Hood, no Texas, na semana passada, informou um porta-voz do Exército na quinta-feira.
O Exército acusou o major Midal Malik Hasan, filho de imigrantes muçulmanos nascido nos Estados Unidos, de ter assassinado a tiros 13 pessoas durante o ataque em 5 de novembro em Fort Hood, a maior base militar do mundo.
O oficial Chris Grey, porta-voz da Divisão de Investigação Criminal do Exército, afirmou que a força não descarta apresentar novas acusações contra Hasan e disse que "estamos fazendo o possível e buscando as razões para esse tiroteio".
O presidente Barack Obama ordenou uma investigação de como as agências de inteligência dos EUA trataram as informações sobre Hasan. Há suspeitas de que as autoridades norte-americanas deixaram passar alguma pista sobre ele.
Hasan está atualmente passando por tratamento num centro médico do Exército em San Antonio, no Texas.
(Reportagem de Ross Colvin)

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters