Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Ellen Francis

BEIRUTE (Reuters) - Forças do governo da Síria alcançaram nesta terça-feira tropas cercadas há anos pelo Estado Islâmico em Deir al-Zor, cidade do leste do país e um dos últimos bastiões dos militantes, informou a mídia estatal.

Tanques e soldados rumaram com rapidez para um enclave comandado pelo governo na cidade onde o Estado Islâmico sitiava milhares de civis e forças sírias desde 2014.

"O Exército da Síria e seus aliados romperam o cerco a Deir al-Zor", disse uma unidade militar de mídia controlada pelo Hezbollah, grupo libanês aliado de Damasco.

A mídia estatal e um grupo de monitoramento da guerra também disseram que as forças em avanço se conectaram às tropas sitiadas em uma guarnição no extremo oeste da cidade.

A agência de notícias estatal síria Sana disse que, dentro da cidade, moradores comemoravam o avanço do Exército.

O Estado Islâmico ainda controla grande parte da província de Deir al-Zor, incluindo metade da cidade.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos, grupo de monitoramento sediado no Reino Unido, informou que uma base aérea militar próxima situada ao sul da localidade e três bairros adjacentes ainda estão sendo sitiados pelos jihadistas.

O governador provincial de Deir al-Zor, Mohammed Ibrahim Samra, disse que soldados do governo estão abrindo caminho até a base aérea.

"As forças estão (tentando) romper o cerco sobre o aeroporto militar também", disse.

"Os próximos dias também testemunharão a liberação da cidade de Deir al-Zor (dos militantes)" e o início dos avanços sobre o interior próximo dominado pelo Estado Islâmico, acrescentou.

O Exército e seus aliados fizeram progressos rápidos nos últimos dias e arremeteram contra linhas do Estado Islâmico com ajuda de artilharia pesada e de ataques aéreos da Rússia.

A cidade está isolada das áreas governamentais desde 2013, já que grupos rebeldes se insurgiram contra o presidente sírio, Bashar al-Assad. No ano seguinte o Estado Islâmico devastou posições rebeldes e sitiou o enclave do governo e a base aérea próxima localizada na cidade.

Acredita-se que combatentes do Estado Islâmico fugiram para cidades nos arredores de Deir al-Zor ao serem atacados em Raqqa. As duas cidades estão em áreas ricas em petróleo ao longo do rio Eufrates.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










Reuters