Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Ellen Francis

BEIRUTE (Reuters) - Forças do governo da Síria alcançaram nesta terça-feira tropas cercadas há anos pelo Estado Islâmico em Deir al-Zor, cidade do leste do país e um dos últimos bastiões dos militantes, informou a mídia estatal.

Tanques e soldados rumaram com rapidez para um enclave comandado pelo governo na cidade onde o Estado Islâmico sitiava milhares de civis e forças sírias desde 2014.

"O Exército da Síria e seus aliados romperam o cerco a Deir al-Zor", disse uma unidade militar de mídia controlada pelo Hezbollah, grupo libanês aliado de Damasco.

A mídia estatal e um grupo de monitoramento da guerra também disseram que as forças em avanço se conectaram às tropas sitiadas em uma guarnição no extremo oeste da cidade.

A agência de notícias estatal síria Sana disse que, dentro da cidade, moradores comemoravam o avanço do Exército.

O Estado Islâmico ainda controla grande parte da província de Deir al-Zor, incluindo metade da cidade.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos, grupo de monitoramento sediado no Reino Unido, informou que uma base aérea militar próxima situada ao sul da localidade e três bairros adjacentes ainda estão sendo sitiados pelos jihadistas.

O governador provincial de Deir al-Zor, Mohammed Ibrahim Samra, disse que soldados do governo estão abrindo caminho até a base aérea.

"As forças estão (tentando) romper o cerco sobre o aeroporto militar também", disse.

"Os próximos dias também testemunharão a liberação da cidade de Deir al-Zor (dos militantes)" e o início dos avanços sobre o interior próximo dominado pelo Estado Islâmico, acrescentou.

O Exército e seus aliados fizeram progressos rápidos nos últimos dias e arremeteram contra linhas do Estado Islâmico com ajuda de artilharia pesada e de ataques aéreos da Rússia.

A cidade está isolada das áreas governamentais desde 2013, já que grupos rebeldes se insurgiram contra o presidente sírio, Bashar al-Assad. No ano seguinte o Estado Islâmico devastou posições rebeldes e sitiou o enclave do governo e a base aérea próxima localizada na cidade.

Acredita-se que combatentes do Estado Islâmico fugiram para cidades nos arredores de Deir al-Zor ao serem atacados em Raqqa. As duas cidades estão em áreas ricas em petróleo ao longo do rio Eufrates.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters