Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Suleiman Al-Khalidi

BEIRUTE (Reuters) - Soldados sírios e milícias apoiadas pelo Irã atacaram vilarejos beduínos no sudeste da Síria, nesta segunda-feira, para consolidar o controle de uma faixa de deserto que se alonga até a fronteira com o Iraque, disseram rebeldes apoiados pelo Ocidente.

Os rebeldes disseram que começaram o ataque de madrugada em uma área do deserto pouco povoada que fica ao leste da cidade controlada por militantes pró-governo de Sweida, habitada em sua maioria pela minoria druza.

A ofensiva aérea e terrestre, apoiada pelo poder aéreo russo, atingiu oito vilarejos de Tal Asfar a Tlul al Shuhaib que tinham sido tomados no final de março pelos rebeldes do Exército Livre da Síria das mãos do Estado Islâmico, depois que os militantes do grupo radical se retiraram para se agrupar mais ao norte.

"Esse é o maior ataque pelo regime e nos vilarejos do leste de Sweida. Eles usaram todos os tipos de armas, desde bombardeios aéreos a artilharia e uma ofensiva terrestre sem precedentes", disse Mohammad Adnan, porta-voz do Jaish Ahrar al Ashaer, um grupo rebelde composto por combatentes tribais que operam na área de fronteira com a Jordânia.

"Nos anos em que o Daesh controlou essa área, o Exército nunca se chocou com eles", acrescentou Adnan.

Adnan disse também que o Exército foi capaz de tomar ao menos sete vilarejos. Um comunicado do Exército disse que eles haviam recapturado diversas cidades, vilarejos e topos de colinas estratégicas na região que fica no leste de Sweida.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters