Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Estelle Shirbon

LONDRES (Reuters) - Procuradores anunciaram nesta quarta-feira denúncias criminais contra seis pessoas, inclusive ex-chefes de polícia, devido ao desastre de 1989 no estádio de futebol de Hillsborough em que 96 torcedores morreram, na pior desastre em um evento esportivo na história do Reino Unido.

As vítimas, todas torcedoras do Liverpool, morreram em um trecho cercado e superlotado do estádio de Hillsborough em Sheffield, no norte inglês, durante a semifinal da Copa da Inglaterra entre o Liverpool e o Nottingham Forest.

Inicialmente a polícia atribuiu a tragédia a torcedores bêbados, uma explicação sempre rejeitada pelas famílias das vítimas e pela comunidade de Liverpool como um todo. Parentes passaram décadas pedindo justiça para os 96 mortos.

"Decidi que existem provas suficientes para acusar seis indivíduos de delitos criminais", disse Sue Hemming, diretora da divisão de crimes especiais e contraterrorismo da Procuradoria da Coroa, em um comunicado.

O réu mais proeminente é o ex-superintendente-chefe de polícia David Duckenfield, que estava a cargo das operações policiais em Hillsborough no dia da fatalidade – ele foi acusado de homicídio culposo.

Familiares das vítimas, que foram informados da decisão em particular pouco antes do anúncio, se abraçaram diante do edifício onde receberam a notícia, localizado em Warrington, no norte da Inglaterra.

(Reportagem adicional de Andy Yates, em Warrington, Inglaterra; e Kate Holton, em Londres)

Reuters