Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Ex-comandante rebelde das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Rodrigo Londono, durante evento em Yari Plains, na Colômbia 23/09/2016 REUTERS/John Vizcaino

(reuters_tickers)

Por Helen Murphy

BOGOTÁ (Reuters) - O ex-comandante rebelde das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Rodrigo Londono, agora líder de um novo partido político, pediu perdão ao papa Francisco nesta sexta-feira pela dor e sofrimento que o grupo causou durante cinco décadas de guerra no país.

Cerca de 220 mil pessoas morreram e milhões foram deslocadas durante a guerra das Farc e outros grupos rebeldes contra paramilitares de direita e forças do governo.

Milhares foram vítimas de sequestros, ataques contra comunidades civis e minas terrestres.

"Suas repetidas expressões sobre a infinita piedade de Deus me levam a pedir pelo seu perdão por quaisquer lágrimas ou dores que nós tenhamos causado à população da Colômbia", disse Londono, em uma carta aberta para o papa.

O pontífice tem pedido por perdão e reconciliação durante uma viagem de cinco dias à Colômbia na esperança de curar feridas deixadas pelo conflito.

(Reportagem adicional de Anastasia Moloney)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters