Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Guy Philippe, ex-membro do alto escalão da Polícia Nacional do Haiti, participa de marcha para a cidade de Gonaives. 19/02/2004 REUTERS/Daniel Aguilar

(reuters_tickers)

Por Nate Raymond

(Reuters) - O líder de um golpe que derrubou o então presidente haitiano Jean-Bertrand Aristide em 2004 foi condenado a 9 anos de prisão depois de se declarar culpado de uma acusação de lavagem de dinheiro nos Estados Unidos relacionada a um esquema de tráfico de droga internacional.

Guy Philippe, de 49 anos, recebeu a pena da juíza Cecilia Altonaga em Miami depois de admitir a culpa por conspirar para cometer lavagem de dinheiro relacionada ao recebimento de pagamentos em dinheiro ligados à venda de narcóticos no final dos anos 1990 e início dos anos 2000.

Os procuradores disseram que Philippe, ex-membro do alto escalão da Polícia Nacional do Haiti, recebeu mais de 1,5 milhão de dólares de suborno para garantir o trânsito livre de carregamentos de droga.

Sua sentença foi confirmada por registros do tribunal. Philippe estava sob custódia desde sua prisão, ocorrida no início do ano.

Um advogado do réu não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

Philippe se declarou culpado em abril, parte de um acordo no qual duas acusações contra ele foram retiradas, incluindo uma de tráfico de droga que poderia ter resultado em prisão perpétua, e no qual as partes concordaram em recomendar uma pena de nove anos.

Ele foi preso no Haiti em 5 de janeiro, depois de conceder uma entrevista a uma rádio, e depois extraditado para os EUA. Philippe conseguiu evitar ser capturado devido a um indiciamento de novembro de 2005 durante mais de uma década.

Sua prisão ocorreu quatro dias antes de ele assumir o cargo de senador no Parlamento haitiano – ele foi eleito em novembro como representante de Grand'Anse, região do sudoeste do país.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters