Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

MILÃO (Reuters) - Um tribunal italiano ordenou neste sábado que o ex-primeiro ministro Silvio Berlusconi seja julgado porque teria subornado testemunhas para silenciá-las sobre acusações de ter pago para fazer sexo com mulheres jovens.

Berlusconi foi absolvido em 2014 das acusações de ter feito sexo com a marroquina Karima El Mahroug, que é mais conhecida por seu nome artístico, "Ruby, a ladra de corações", quando ela tinha 17 anos.

Promotores alegaram posteriormente que cerca de 10 milhões de euros foram pagos para corromper testemunhas do caso, dos quais, eles disseram, Karima recebeu 7 milhões.

Berlusconi deveria ter sido julgado junto com outros acusados de corrupção, mas seu caso foi separado do grupo devido aos problemas de saúde que ocorreram após uma cirurgia cardíaca.

Berlusconi nega ter feito qualquer infração. Seu julgamento deve começar em 5 de abril.

Dentre os que estão sendo julgados separadamente em casos de corrupção relacionados, há 16 mulheres que participaram das chamadas festas "Bunga Bunga" nas casas de Berlusconi.

O advogado de Berlusconi, Federico Cecconi, rejeitou as acusações, reconhecendo que Berlusconi ajudou financeiramente algumas das garotas, mas insistindo que ele não as subornou.

"Há um risco de que o que vá a julgamento aqui seja a generosidade", ele disse.

A carreira política de Berlusconi tem sido perseguida por incessantes batalhas legais. Ele foi banido do governo após uma condenação por fraude fiscal em 2013 e, embora permaneça no comando do partido Forza Italia, perdeu muito apoio popular.

(Por Manuela D'Alessandro)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters