Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Visão geral de construção da arena de São Petersburgo, na Rússia 03/10/2016 REUTERS/Pawel Kopczynski

(reuters_tickers)

MOSCOU (Reuters) - Um ex-vice-governador de São Petersburgo admitiu envolvimento em um esquema de fraude relacionado à construção do estádio da cidade para a Copa do Mundo de 2018, disseram investigadores na quarta-feira.

Marat Oganesyan, que ocupou o cargo na segunda maior cidade da Rússia entre 2013 e 2015, foi detido no ano passado devido à suspeita de que orquestrou um acordo fraudulento de valor equivalente a 849.915 dólares que deveria ser destinado à instalação de um telão no estádio.

Os investigadores disseram que Oganesyan admitiu sua culpa como parte de um acordo pré-julgamento.        

"Ele reconheceu plenamente sua culpa no ato pelo qual foi incriminado, apresentou provas fartas e tomou providências para ressarcir o dano causado", informou a filial local do Comitê Investigativo russo em um comunicado.

A construção da arena de São Petersburgo, que levou uma década e sediará uma semifinal do Mundial, foi assolada por custos crescentes e atrasos.

O gramado teve que ser reassentado às pressas por ter se cortado durante a partida inaugural de abril, despertando dúvidas sobre a adequação do local para receber partidas da Copa das Confederações.

Antes dos problemas com a grama, dificuldades com a tecnologia de gramado retrátil também provocaram vibrações no piso, o que o tornou impróprio para jogos.

O estádio, sede do importante time russo Zenit, ainda apresentou vazamentos no teto.

(Por Gabrielle Tétrault-Farber)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters