Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Michelle Martin

BERLIM (Reuters) - Mais de 70 anos após Adolf Hitler cometer suicídio em seu bunker em Berlim nos dias finais da Segunda Guerra Mundial, uma exibição na capital alemã examina como ele se tornou um nazista e o que transformou alemães comuns em assassinos durante o Terceiro Reich.

          Por décadas foi um tabu na Alemanha focar em Hitler, embora isto tenha começado a mudar com filmes como “A Queda – As Últimas Horas de Hitler”, de 2004, que mostra os últimos dias do ditador, e uma exibição sobre ele em 2010.

          A exibição “Hitler – como pode acontecer” foi montada em um bunker em Berlim que foi usado por civis durante bombardeios na Segunda Guerra Mundial – próximo ao local onde Hitler viveu enquanto Berlim estava sendo bombardeada, e que não é acessível ao público.

          A exibição examina a vida de Hitler de sua infância na Áustria e período como pintor a sua experiência como um soldado na Primeira Guerra Mundial e sua subsequente ascensão ao poder. Outras exibições focam nos campos de concentração, antissemitismo e o Holocausto que matou 6 milhões de judeus.

          A exposição termina com uma controversa reconstrução do bunker onde Hitler se matou em 30 de abril de 1945 – repleto com o relógio de seu avó, sofá florido e um tanque de oxigênio. A exibição é vista por trás de vidros e monitorada por câmeras, com visitantes proibidos de tirar fotografias.

          O curador da exposição, Wieland Giebel, de 67 anos, disse ter sido acusado de “Hitler Disney” por colocar o quarto em exibição. Mas ele defendeu a decisão, dizendo que a exposição tinha como foco os crimes cometidos pelo regime de Hitler.

          “Este quarto é onde os crimes terminaram, onde tudo terminou, então é por isto que estamos mostrando”, acrescentou. 

Reuters