Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

WASHINGTON (Reuters) - A venda de armas do governo dos Estados Unidos para outros governos cresceu 4,7 por cento, para o recorde de 38,1 bilhões de dólares, no ano fiscal de 2009 que terminou em 30 de setembro, e deve atingir valor semelhante em 2010, disse uma agência do Pentágono nesta sexta-feira.
A alta nas vendas em 2009 reflete um aumento de 465 por cento em relação à venda de armas de baixo calibre no ano fiscal de 1998, de acordo com o vice-almirante Jeffrey Wieringa, chefe da Agência de Cooperação em Segurança de Defesa do Pentágono.
Muitos, se não a maioria, dos acordos assinados no ano fiscal de 2009 são parte de um salto nas vendas de armas convencionais dos Estados Unidos, que começaram no governo do ex-presidente George W. Bush.
As vendas de 2009 cresceram em relação aos 36,4 bilhões de dólares em acordos de vendas registrados em 2008 e aos 23,3 bilhões de dólares em 2007, disse a agência.
No ano fiscal de 2010, que começou em 1o de outubro, as vendas norte-americanas devem ultrapassar 37,9 bilhões de dólares, disse a porta-voz da agência Vanessa Murray em uma resposta escrita à Reuters.
Os países que mais compraram em 2009 foram Emirados Árabes Unidos, Afeganistão, Arábia Saudita, Taiwan, Egito e Iraque.
(Reportagem de Jim Wolf)

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters