Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

PARIS (Reuters) - Facebook, Google e empresas de mídia lançaram nesta segunda-feira uma iniciativa para combater a circulação de notícias falsas na França, à medida que se aproximam as eleições presidenciais do país.

O Facebook disse que vai trabalhar com várias companhias jornalísticas, incluindo Agence France-Presse, BFM TV e os jornais L'Express e Le Monde, para garantir que notícias falsas não sejam publicadas em sua plataforma.

O Google também participará da iniciativa, chamada de "Cross Check" pelos parceiros.

O Facebook foi alvo de críticas por não fazer o suficiente para impedir que informações falsas fossem republicadas em sua plataforma durante a campanha presidencial norte-americana e, em resposta, adotou medidas para combater o problema.

Preocupações similares sobre a disseminação de notícias falsas ganharam força antes das eleições na França, que acontecem em abril e maio.

Nos Estados Unidos, o Facebook informou que os usuários futuramente conseguirão identificar com maior facilidade artigos falsos, e que vem trabalhando com organizações como o site de verificação de informações Snopes, a ABC News e a Associated Press para checar a autenticidade das histórias.

No mês passado, a empresa também lançou iniciativa contra notícias falsas na Alemanha, onde autoridades do governo temem que a disseminação de discursos de ódio e notícias falsas possam influenciar as eleições parlamentares em setembro, nas quais a chanceler alemã, Angela Merkel, buscará seu quarto mandato.

(Por Gwenaelle Barzic e Sudip Kar-Gupta)

Reuters