Reuters internacional

Mulher deixa flores perto de local de ataque contra muçulmanos do lado de fora de uma mesquita em Londres. 19/06/2017 REUTERS/Hannah McKay

(reuters_tickers)

Por Michael Holden

LONDRES (Reuters) - A família do homem suspeito de atropelar muçulmanos com uma van alugada no fim de suas orações no norte de Londres disse estar devastada com a "loucura" do ataque.

O veículo virou bruscamente em direção aos religiosos, em sua maioria de origem do norte e oeste da África, quando eles terminavam suas orações na madrugada de segunda-feira na Casa de Bem-Estar Muçulmana e na Mesquita de Finsbury Park, uma das maiores no Reino Unido, deixando 11 feridos.

A polícia disse estar claro que o motorista tinha os muçulmanos como alvo, e a primeira-ministra britânica, Theresa May, descreveu o ocorrido como um "doentio" ataque terrorista.

Um homem de 47 anos foi detido pelos presentes na cena do ataque e depois preso pela polícia sob suspeita de tentativa de assassinato e infrações terroristas. Ele ainda está sendo interrogado por detetives.

O suspeito foi identificado pela mídia britânica como Darren Osborne, pai de quatro filhos, que vivia em Cardiff, capital do País de Gales. Em uma declaração dada a mídia local em nome de sua família, seu sobrinho Ellis Osborne disse: "Nós estamos intensamente chocados; é inacreditável, ainda não caiu a ficha".

"Nós estamos devastados pelas famílias, nossos corações estão com as pessoas que foram feridas. É uma loucura. É obviamente pura loucura".

(Reportagem de Michael Holden)

Reuters

 Reuters internacional