Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Forças do governo das Filipinas são vistas após militantes islâmicos invadirem uma escola na cidade de Pigcawayan. 21/06/2017 REUTERS/Marconi Navales

(reuters_tickers)

Por Manolo Serapio Jr e Karen Lema

MANILA (Reuters) - O Exército das Filipinas informou que militantes islâmicos fugiram de uma escola no sul do país nesta quarta-feira, deixando para trás 31 reféns ilesos, incluindo 12 crianças, após troca de tiros com soldados que já durava um dia.

Não há relatos de vítimas no incidente na cidade de Pigcawayan, que fica aproximadamente 190 quilômetros ao sul de Marawi, onde um combate entre forças do governo e militantes pró-Estado Islâmico entrou em sua quinta semana.

"O inimigo fez apressada retirada, deixando para trás 31 reféns, entre eles 12 crianças", disse à Reuters o general Restituto Padilla.

Padilla informou que outros 20 civis presos na área por causa do fogo cruzado também foram resgatados.

A polícia informou que cerca de 300 homens armados dos Combatentes de Liberdade Islâmica de Bangsamoro (BIFF) invadiram a escola na manhã desta quarta-feira. Padilla, entretanto, disse depois que apenas 50 militantes estavam envolvidos na ação.

Inicialmente, autoridades das forças armadas não tinham certeza se os militantes tinham feito reféns. Líderes da comunidade na área foram chamados para ajudar nas negociações para resgatar os reféns, disse Padilla.

"Acabou... mas nós também estamos em vigilância porque eles podem conduzir outros ataques", disse Padilla.

Reuters