Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Candidato conservador à Presidência da França, François Fillon. 07/02/2017 REUTERS/Christian Hartmann

(reuters_tickers)

PARIS (Reuters) - O candidato conservador à Presidência da França, François Fillon, fez um apelo nesta quarta-feira a seus eleitores pedindo por apoio após perder o posto de favorito à vitória por acusações de pagamentos irregulares para membros de sua família que tinham empregos falsos.

O escândalo forçou Fillon a se desculpar, e sua popularidade despencou. Pesquisas de opinião mostram o candidato independente Emmanuel Macron, de centro, como o provável vencedor da eleição, superando a líder da extrema-direita, Marine Le Pen, por maioria de dois terços no segundo turno.

"Decidi não ceder à intimidação e pressão. Escolhi ficar de frente aos franceses, enfrentar julgamento", disse Fillon em coluna no jornal Ouest-France, o mais vendido da França e bastante popular em seu reduto no oeste do país.

Buscando retomar a ofensiva e mostrar ter apoio do partido, Fillon visitou na terça-feira a região de Champagne, ao lado do parlamentar François Baroin, visto por muitos como possível candidato conservador em caso de um "plano B".

Fillon, um ex-primeiro-ministro, enfrenta denúncias há duas semanas, desde que o semanário satírico Le Canard Enchaine relatou que a esposa de Fillon, Pénélope, recebeu dinheiro público por um trabalho que nunca realizou. A publicação disse ainda posteriormente que dois filhos adultos de Fillon também receberam dinheiro.

Fillon disse que sua esposa realizou trabalhos para ele.

(Reportagem de Michel Rose)

Reuters