Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Premiê iraquiano Haider al-Abadi em Kirkuk. 14/10/2016. REUTERS/Ako Rasheed

(reuters_tickers)

BAGDÁ (Reuters) - Aviões de guerra iraquianos atingiram alvos do Estado Islâmico dentro da Síria em retaliação aos recentes ataques com bomba em Bagdá realizados pelo grupo, disse o primeiro-ministro Haider al-Abadi nesta sexta-feira.

Parecia ser a primeira vez que os jatos iraquianos realizaram tais ataques através da fronteira. Uma fonte síria disse que os ataques foram coordenados com Damasco.

O Estado Islâmico, que está na defensiva desde que perdeu o controle do leste de Mosul para uma ofensiva militar apoiada pelos Estados Unidos, assumiu a autoria de vários ataques com carros-bomba na capital do Iraque nas últimas semanas.

"Estamos determinados a expulsar o terrorismo que tenta matar nossos filhos e cidadãos onde quer que ele seja encontrado, por isso demos ordens ao comando da Força Aérea para que ataque posições do Estado Islâmico em Hosaiba (cidade iraquiana) e Albu Kamal, dentro do território sírio, já que foram responsáveis por bombardeios recentes em Bagdá", disse Abbadi em um comunicado.

"Os heróis do céu executaram a operação e responderam aos terroristas com um sucesso impressionante."

Um comunicado separado do Comando de Operações Conjuntas informou que os ataques ocorreram na manhã desta sexta-feira usando caças F16 e que destruíram a sede do Estado Islâmico em Albu Kamal.

"Os ataques visaram o quartel-general do Estado Islâmico usado para preparar carros-bomba em Albu Kamal... depois de a inteligência iraquiana receber pistas de suas fontes dentro da Síria", disse uma autoridade de segurança de alto escalão à Reuters.

Forças iraquianas auxiliadas pelos EUA expulsaram o Estado Islâmico da maioria das cidades que o grupo capturou em 2014 e 2015. Os militantes também controlam partes da Síria.

No mês passado, forças do governo do Iraque tomaram a região leste de Mosul e atualmente realizam uma ofensiva do lado oeste da cidade, que é dividida em duas pelo rio Tigre.

(Por Ahmed Rasheed)

Reuters