Por Hamid Shalizi e Rupam Jain

CABUL (Reuters) - Forças de segurança do Afeganistão apoiadas por conselheiros e ataques aéreos dos Estados Unidos lutaram nesta segunda-feira para afastar combatentes do Taliban da inflamada cidade de Ghazni, onde centenas de pessoas foram mortas ou ficaram feridas durante quatro dias de confrontos.

O ataque do Taliban em Ghazni, um centro estratégico na principal rodovia ligando a capital Cabul ao sul do Afeganistão, é um golpe ao presidente Ashraf Ghani semanas antes de uma eleição parlamentar e diminui esperanças para início de conversas de paz.

Os insurgentes tomaram controle dos distritos de Khawaja Omari, no norte da cidade, e de Ajrestan, no oeste, e autoridades disseram que dezenas de membros das forças de segurança do Afeganistão estão mortos ou desaparecidos.

    Dentro da cidade de Ghazni houve reivindicações contraditórias de ambos lados e nenhuma maneira de verificá-las de forma independente.

    O ministro do Interior, Wais Barmak, declarou que a situação havia melhorado na tarde desta segunda-feira, com reforços pressionando o último bolsão da cidade de resistência do Taliban.

    Mas o Taliban informou ter controle de maior parte da cidade.

Diplomatas em Cabul disseram que o governo havia admitido ter sido pego de surpresa pelo ataque realizado na sexta-feira e, após dias de comentários públicos escassos do palácio presidencial, Ghani anunciou no Twitter que reforços seriam enviados urgentemente.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.