Reuters internacional

BAGDÁ (Reuters) - Um grupo iraquiano muçulmano xiita apoiado pelo Irã disse ter expulsado o Estado Islâmico de um grupo de vilarejos na fronteira com a Síria nesta segunda-feira, potencialmente reabrindo uma rota de abastecimento para enviar armas iranianas para o presidente sírio, Bashar al-Assad.

A manobra também pode ser o prelúdio de uma conexão com as forças de Assad apoiadas pelo Irã, embora elas ainda não tenham alcançado a fronteira iraquiana pelo lado da Síria.

Fontes rebeldes sírias alertaram sobre os avanços do Exército sírio e de milícias apoiadas pelo Irã para atingir a fronteira.

O território conquistado pela força Mobilização Popular nesta segunda-feira fica localizado no norte da cidade de Baaj, controlada pelo Estado Islâmico.

Para a Mobilização Popular, o controle é um avanço para alinhamento com as forças de Assad, dando a ele uma vantagem significativa no combate à rebelião de seis anos contra seu governo.

Entretanto, o território é conectado com locais controlados por grupos sírios curdos apoiados pelos Estados Unidos no lado da Síria.

Esses grupos estão mais focados na luta contra o Estado Islâmico do que Assad e não se sabe se os curdos sírios permitiriam que a força iraquiana xiita use seu território para alcançar as tropas de Assad, mobilizadas mais ao sul e mais ou oeste.

(Reportagem de Maher Chmaytelli)

Reuters

 Reuters internacional