Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

BEIRUTE/AL SHADADI, Síria (Reuters) - As milícias apoiadas pelos Estados Unidos e o exército sírio avançaram em ofensivas separadas contra o Estado Islâmico no leste da Síria no sábado, pressionando o território cada vez menor do grupo, que ainda ocupa áreas ricas em petróleo perto da fronteira iraquiana.

As forças do governo sírio abriram caminho para uma base aérea nos arredores da cidade de Deir al-Zor, que foi sitiada pelos jihadistas há anos, disse um comandante na aliança militar que luta em apoio ao presidente Bashar al-Assad.

As Forças Democráticas da Síria (SDF), uma aliança apoiada pelos EUA e composta principalmente por combatentes árabes e curdos, entretanto, lançaram ataques contra o Estado Islâmico no norte da província de Deir al-Zor, em uma operação para capturar áreas a leste do rio Eufrates.

Os avanços contra o Estado Islâmico, outro golpe em seu controle sobre o território que ocupou durante anos como parte de um califado autodeclarado, provavelmente irão aproximar as forças apoiadas pelos EUA e o governo sírio, apoiado pela Rússia e pelo Irã.

Um avião militar norte-americano abateu uma aeronave do exército sírio perto de Raqqa em junho e as SDF acusam o governo sírio de bombardear suas posições, mostrando o risco de aumento das hostilidades entre os lados conflitantes em um campo de batalha lotado.  

As operações das SDF na província de Deir al-Zor visam capturar as áreas norte e leste de seu interior e avançar em direção ao Eufrates, de acordo com o Conselho Militar de Deir al-Zor, que está lutando como parte das SDF.

O Observatório Sírio para Direitos Humanos relatou que as forças SDF avançaram contra o Estado Islâmico no noroeste de Deir al-Zor, conquistando várias colinas e uma vila.

As forças do governo sírio e seus aliados chegaram ao aeroporto militar de Deir al-Zor, do outro lado do Eufrates, onde as tropas estavam escondidas desde 2014, cercadas pelo Estado Islâmico, disse o comandante da aliança pró-Assad.

A aliança inclui milícias respaldadas pelo Irã e o poderoso grupo xiita libanês Hezbollah.

O avanço aconteceu dias após o exército e seus aliados romperem o cerco da principal área de cidade, que havia sido separada do aeroporto por ataques do Estado Islâmico meses antes.

(Por John Davison e Rodi Said)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters