Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Iraqi rapid response forces fire mortar shells towards Islamic State positions in Wahda district of eastern Mosul, Iraq, January 6, 2017. REUTERS/Alaa Al-Marjani

(reuters_tickers)

BAGDÁ (Reuters) - Tropas iraquianas de elite avançaram contra militantes do Estado Islâmico no leste de Mosul valendo-se da primeira incursão noturna na cidade, disse um porta-voz dos militares nesta sexta-feira, em uma operação apoiada pelos EUA que está ganhando ímpeto, segundo autoridades.

Forças do serviço de antiterrorismo (CTS, na sigla em inglês) avançaram em direção a um afluente do rio Tigre, pouco após a meia-noite, e afugentaram combatentes do Estado Islâmico no distrito de Muthanna, disse o porta-voz do CTS Sabah al-Numan.

“Utilizamos equipamentos especiais e tivemos o elemento surpresa -o inimigo não esperava que montássemos uma ofensiva porque todas as outras ofensivas foram feitas durante o dia”, disse.

Aviões da coalizão dos EUA realizaram 19 ataques aéreos em apoio à operação, a qual deixou dezenas de militantes mortos, afirmou.

Uma segunda fase da campanha para tirar o Estado Islâmico de seu maior bastião no Iraque, a qual já dura quase 12 semanas, começou na quinta-feira passada. A ofensiva de Mosul é a maior mobilização no Iraque desde a invasão liderada pelos EUA em 2003.

Uma aliança de 100 mil soldados apoiada pelos EUA e composta de tropas do governo, forças de seguranças curdas e milicianos xiitas rapidamente atropelou o Estado Islâmico em vilas e municípios ao redor de Mosul, mas uma forte resistência dentro da cidade tem desacelerado os avanços.

Os jihadistas, que estão valendo-se de atiradores de precisão e carros-bomba suicidas, além de utilizarem civis como escudos, ainda controlam totalmente a parte de Mosul a oeste do Tigre. 

(Por Saif Hameed)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters