Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

DUBAI (Reuters) - A coalizão militar liderada pela Arábia Saudita disse nesta segunda-feira que fechará todo o acesso terrestre, marítimo e aéreo ao Iêmen para deter o fluxo de armas que chegam aos rebeldes houthis vindo do Irã.

A medida, que se segue à interceptação de um míssil disparado contra Riad no sábado, deve agravar uma crise humanitária no Iêmen que já deixou cerca de sete milhões de pessoas à beira da fome e mais de meio milhão de infectados com cólera, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU).

"O Comando das Forças da Coalizão decidiu fechar temporariamente todos os portos aéreos, marítimos e terrestres iemenitas", disse a força em um comunicado publicado pela agência de notícias estatal saudita SPA.

O comunicado acrescentou que os agentes e suprimentos humanitários continuarão a poder entrar e sair do Iêmen.

No entanto, as Nações Unidas não receberam autorização para qualquer voo na segunda-feira, disse o porta-voz da ONU Farhan Haq.

A ONU e organizações internacionais de auxílio vêm criticando a coalizão por impedir o ingresso de ajuda, especialmente ao norte do Iêmen, que é controlado pelos rebeldes houthis alinhados a Teerã que combatem a coalizão liderada pelos sauditas.

A Arábia Saudita e seus aliados do Golfo Pérsico deixaram claro que veem o Irã como o principal responsável pelo conflito iemenita, que deixou mais de 10 mil mortos nos últimos dois anos.

O ministro das Relações Exteriores saudita, Adel al-Jubeir, disse em sua conta de Twitter nesta segunda-feira que Riad se reserva o direito de responder ao que classificou de "ações hostis" iranianas. Seu colega do Barein, xeique Khaled bin Ahmed al-Khalifa, também tuitou dizendo que o Irã é o verdadeiro perigo da região.

Já o chanceler iraniano, Mohammad Javad Zarif, disse que a Arábia Saudita culpa Teerã pelas consequências de suas próprias "palavras de agressão".

    (Por Sylvia Westall)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










Reuters