Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Augustine Anthony
ISLAMABAD (Reuters) - Soldados paquistaneses entraram num importante bastião militar no Waziristão do Sul, informaram autoridades de segurança na sexta-feira, mesmo dia em que um atirador feriu um general de brigada e seu motorista na capital.
O Exército paquistanês iniciou sua ofensiva no Waziristão do Sul, região próxima à fronteira com o Afeganistão, no dia 17 de outubro com o objetivo de combater militantes do Taliban paquistanês por trás de uma onda de violência em áreas urbanas.
A investida é observada de perto pelos Estados Unidos e por outras potências envolvidas no Afeganistão, já que a região montanhosa do Waziristão do Sul tem se tornado um centro global de militância islâmica.
Soldados vêm avançando na área vindos de três direções diferentes e entraram no vilarejo de Makeen, dominado por militantes, segundo autoridades militares e de inteligência.
"Não vimos muita resistência enquanto entrávamos em Makeen", disse um oficial militar de alta patente na região. "Nossas tropas estão retirando minas e explosivos improvisados do caminho e seguindo adiante."
Uma autoridade de uma agência de inteligência afirmou que sete militantes foram mortos nos combates em Makeen, onde o chefe do Taliban paquistanês Baitullah Mehsud foi morto num ataque de um veículo aéreo não-tripulado dos Estados Unidos no início de agosto.
Porta-vozes militares não estavam disponíveis para comentar.
Não havia confirmações independentes das informações, pois a entrada de jornalistas na região não é permitida, exceto em viagens ocasionais acompanhadas pelos militares.
(Reportagem adicional de Hafiz Wazir e Javed Hussain)

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters