Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Uma cristã iraquiana se refugia em uma igreja de Tealkaif enquanto foge da violência na vizinha Mosul, na província de Nineveh, norte do Iraque. 20/07/2014. REUTERS/Stringer

(reuters_tickers)

PARIS (Reuters) - A França disse nesta segunda-feira que está pronta para acolher os cristãos do norte do Iraque que receberam um ultimato dos rebeldes do Estado Islâmico, agora governando a região, para se converterem ao islamismo, pagar um imposto religioso ou encarar a morte.

Os insurgentes do grupo, uma ramificação da Al Qaeda, apreenderam grandes áreas do norte do Iraque no mês passado, o que levou centenas de famílias cristãs de Mosul a fugir da cidade que acolheu sua fé desde seus primeiros anos.

"Estamos oferecendo ajuda às pessoas deslocadas que fogem das ameaças do Estado Islâmico e que buscaram refúgio no Curdistão. Estamos prontos, se eles desejarem, para facilitar o seu asilo em nosso solo", disseram os ministros das Relações Exteriores e do Interior da França, em uma declaração conjunta.

"Estamos em constante contato com as autoridades locais e nacionais para garantir que tudo seja feito para protegê-los."

O primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki, condenou no início deste mês o tratamento dado aos cristãos e instruiu um comitê do governo a ajudar os desabrigados. No entanto, ele não disse quando o Exército poderia tentar reconquistar o controle de Mosul.

O Estado Islâmico alertou todas as mulheres em Mosul a usar o véu que cobre todo o rosto, do contrário sofreriam uma punição severa. Os insurgentes sunitas, que declararam um califado em partes do Iraque e da Síria, também veem os xiitas majoritários do Iraque como infiéis que merecem ser mortos.

(Reportagem de Mark John)

Reuters