Reuters internacional

Por Timothy Mclaughlin

(Reuters) - A American Airlines suspendeu um funcionário após um vídeo mostrar uma briga num de seus aviões envolvendo tripulação, passageiros e uma mulher chorando com uma criança pequena.

Um empregado da American Airlines pegou violentamente um carrinho da mulher, atingindo-a e deixando escapar seu filho, disse o usuário do Facebook Surain Adyanthaya em um post que acompanha o vídeo que colocou no site na sexta-feira.

Menos de duas semanas atrás, um médico de 69 anos, David Dao, foi hospitalizado após a polícia da aviação de Chicago o arrastar de um avião da United Airlines, o que provocou indignação internacional e um pesadelo para a empresa.

A American Airlines está investigando o incidente, que aconteceu no vôo 591 de San Francisco para Dallas antes de o avião decolar, disse Leslie Scott, uma porta-voz da companhia.

O incidente começou em uma disputa sobre se a mulher poderia levar seu carrinho de criança no voo, disse Scott.

Testemunhas disseram que o comissário de bordo disse à mulher que não podia manter o carrinho em seu assento na traseira do avião, informou a Tribune Media. Eles disseram que ela estava tentando encontrar espaço para ele quando o incidente inicial ocorreu, disse.

Adyanthaya não respondeu a um pedido de comentário.

Em seu vídeo, a mulher com a criança pode ser ouvida pedindo aos comissários de bordo pelo carrinho. Um passageiro masculino, em seguida caminha em direção à frente do avião e exige da tripulação da companhia aérea o nome do funcionário que tomou o carrinho antes de ele retornar ao seu assento.

Momentos depois, outro funcionário americano, que Scott disse que ser um comissário de bordo entra no avião e o passageiro o confronta.

"Se fizer isso comigo eu vou derrubá-lo", o passageiro pode ser ouvido dizendo ao comissário.

Os dois então se confrontam no corredor do avião e o empregado pode ser ouvido desafiando o passageiro a bater nele. O passageiro retorna eventualmente a seu assento e o comissário de bordo deixa o avião.

"Lamentamos profundamente a dor que causamos a este passageiro e sua família e a qualquer outro cliente afetado pelo incidente", disse a companhia na sexta-feira. A mulher e sua família estavam sendo levadas para a primeira classe para o resto de sua viagem internacional, disse a empresa.

Reuters

 Reuters internacional