Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

NOVA YORK (Reuters) - Um ex-funcionário do FBI em Nova York foi sentenciado a dois anos de prisão nesta sexta-feira após admitir que agiu ilegalmente sob ordens de uma autoridade chinesa para recolher informações privilegiadas.

Kun Shan Chun, conhecido como Joey Chun, também recebeu ordem do juiz distrital de Manhattan, Victor Marrero, a pagar 10 mil dólares após se declarar culpado em agosto de ter agido ilegalmente como agente de um governo estrangeiro.

Promotores disseram que, a partir de 2005, chineses alegando serem associados com a fabricante chinesa de produtos para impressão Zhuhai Kolion Technology Company solicitaram um investimento de um dos parentes de Chun.

Chun, de 47 anos, se encontrou pela primeira vez com os supostos associados da Kolion durante uma viagem em 2005, e se encontrou com eles no exterior diversas vezes, eventualmente encontrando uma autoridade chinesa que o questionou sobre o FBI e práticas de vigilância e metas, disseram promotores.

Em troca, Chun forneceu à autoridade um organograma do FBI e fotografias relacionadas a tecnologias de vigilância, segundo promotores.

(Por Nate Raymond; reportagem adicional de Brendan Pierson)

Reuters