Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Dustin Volz

(Reuters) - O Twitter enfrenta questionamentos nesta sexta-feira sobre sua segurança interna após um funcionário ter desativado brevemente a conta do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

O blecaute do perfil @realDonaldTrump durante 11 minutos nesta quinta-feira atraiu atenção na rede social. O Twitter já está lidando com críticas sobre como lida com a suspensão de contas, abusos por usuários e mudanças em seus termos de serviço.

O Twitter não quis responder questões nesta sexta-feira, incluindo quantos funcionários podem suspender uma conta ou quais são as proteções especiais a usuários muito conhecidos, como Trump.

"Nós não poderemos discutir publicamente este tipo de coisa", disse um porta-voz da companhia.

Trump frequentemente usa o Twitter para comentar assuntos políticos e militares. Usuários da rede social expressaram preocupações de que a interferência de funcionários ou problemas tecnológicos na conta do mandatário norte-americano possam ameaçar a segurança nacional.

"Nós descobrimos que isso foi feito por um funcionário do suporte ao cliente que fez isso em seu último dia. Estamos conduzindo uma revisão interna completa", disse o Twitter em um tuíte na quinta-feira.

"Nós continuamos a investigar e estamos tomando medidas para impedir que isso aconteça novamente", acrescentou.

Trump, que tem quase 42 milhões de seguidores no Twitter, respondeu à perda temporária de sua conta se vangloriando sobre seu amplo alcance na rede social.

"Minha conta no Twitter foi derrubada durante 11 minutos por um funcionário desonesto", disse Trump no Twitter nesta sexta-feira. "Eu acho que minhas palavras finalmente estão se espalhando e causando impacto."

O incidente da noite de quinta-feira também levantou questões sobre como o Twitter assegura a conta presidencial oficial @potus e outras contas que podem potencialmente influenciar eventos mundiais.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters