Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Carros cruzam uma avenida alagada após a passagem do furacão Arthur em Nags Head, na Carolina do Norte, Estados Unidos, nesta sexta-feira. 04/07/2014 REUTERS/Chris Keane

(reuters_tickers)

Por Chris Keane

NAGS HEAD, Estados Unidos (Reuters) - Já mais enfraquecido, o furacão Arthur rumou para as águas da Nova Inglaterra nesta sexta-feira após causar poucos danos na costa da Carolina do Norte, mas o fenômeno natural estragou os planos de milhares de norte-americanos no feriado do Dia da Independência dos Estados Unidos.

Arthur, o primeiro furacão da temporada do oceano Atlântico, provocou o corte de energia de quase 200 mil casas e empresas, derrubou árvores e isolou ilhas do continente depois de tocar o solo na região de Outer Banks, na Carolina do Norte, na noite de quinta-feira.

Autoridades disseram ter havido danos mínimos como resultado da tempestade, a primeira da temporada a atingir a Carolina do Norte desde que os registros começaram a ser feitos em 1851. Uma dúzia de condados entrou em estado de emergência, e a estância turística das Ilhas Ocracoke ficou sem energia.

“Foi um ótimo dia. Não houve relatos de mortos ou feridos graves”, informou o governador da Carolina do Norte, Pat McCrory, em entrevista coletiva à imprensa em Raleigh.

O Arthur alcançou ventos máximos sustentados de 160 quilômetros por hora, chegando à Categoria 2, de uma escala que vai até 5, e diminuiu para Categoria 1 ao rumar para o nordeste e às águas mais frias do Atlântico, com ventos máximos de 145 quilômetros por hora.

O Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) disse que a tempestade estava bem ao leste da costa central do Atlântico às 15h desta sexta-feira. O Arthur ganhou velocidade enquanto se movia para o nordeste, a 20 quilômetros por hora, mas provavelmente perderá força ao adentrar águas mais frias.

“O foco agora é a porção sul da Nova Inglaterra e as províncias atlânticas do Canadá”, afirmou o meteorologista do NHC, Todd Kimberlain.

O Arthur deve passar a sudeste de Cape Cod, em Massachusetts, no início da noite desta sexta-feira, levando chuva e ventos com força de tempestade tropical, de 63 a 117 quilômetros por hora, para o continente, informou o centro.

A previsão é de que o furacão esteja perto ou sobre a província canadense de Nova Escócia no sábado e que enfraqueça até se tornar um sistema de tempestade pós-tropical, disse Kimberlain.

O Arthur é o primeiro furacão a atingir os EUA desde que a supertempestade Sandy devastou Nova York e Nova Jersey em outubro de 2012, causando danos estimados em 70 bilhões de dólares.

(Reportagem adicional de Gene Cherry, em Raleigh, Carolina do Norte; de David Adams, em Miami; de Ian Simpson, em Washington; de Ted Siefer, em New Hampshire; de Richard Weizel, em Connecticut; e de Sandra Maler, em Washington)

Reuters