Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Marianna Parraga

HOUSTON (Reuters) - O furacão Irma forçou o fechamento de terminais de petróleo no norte do Caribe e agravou uma crise no abastecimento de combustíveis na América Latina, que vem tendo dificuldades para suprir a demanda desde que a tempestade Harvey prejudicou os embarques que partem da Costa do Golfo dos Estados Unidos no mês passado.

Há quase duas semanas a América Latina se depara com problemas para receber carregamentos por causa do Harvey, que provocou grandes inundações no Texas e na Louisiana e fechou portos, refinarias e plataformas de produção de petróleo.

A tempestade Irma, que está sendo sucedida por furacões no Oceano Atlântico e no Golfo do México, também ameaça refinarias, terminais e instalações de armazenamento.

O Centro Nacional de Furacões dos EUA disse que o Irma é o furacão mais forte já registrado no Atlântico e uma das cinco tempestades mais agressivas a atingir a bacia do Atlântico em 82 anos.

Mais de 100 milhões de barris de estoque estão disponíveis no Caribe, o que é crucial para as nações da região por causa de sua capacidade limitada de refinar petróleo cru e serve também como fonte de oferta para países sul-americanos como Brasil, Venezuela e Colômbia.

Várias empresas que comercializam a commodity transferiram uma parte dos estoques norte-americanos para o Caribe antes da chegada do Harvey para poderem continuar a enviar carregamentos para a América Latina, disseram negociantes de duas delas à Reuters.

Os barris estão fechados em terminais de Santo Eustáquio, Porto Rico e nas Ilhas Virgens Americanas. O Irma, uma tempestade de categoria 5 com ventos de 295 quilômetros por hora, deve assolar a região durante vários dias enquanto ruma para o oeste-noroeste.

"O Irma está chegando em um momento ruim. Nem todas as instalações de armazenamento de petróleo do Caribe fecharam, mas o tráfico de embarcações está difícil no meio da tempestade. Ficará pior antes de melhorar", disse um negociante de uma companhia de petróleo que aluga navios-tanque em Saint Croix.

A Buckeye Partners, que tem sede nos EUA e é a maior proprietária de instalações de armazenamento de petróleo do Caribe, com 41,1 milhões de barris de capacidade, disse na quarta-feira que interditou seu terminal de Yabucoa, em Porto Rico.

A companhia também fechará até o final desta quinta-feira o Borco, seu maior terminal nas Bahamas, que pode armazenar até 26 milhões de barris de petróleo e outros produtos, de acordo com uma fonte a par das operações.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters