Navigation

Furacão Laura atinge sudoeste da Louisiana e recua para categoria 2 após chegada "catastrófica"

Carro parcialmente submerso após chuvas trazidas pelo furacão Laura em Louisiana, EUA 26/08/2020 REUTERS/Kathleen Flynn reuters_tickers
Este conteúdo foi publicado em 27. agosto 2020 - 14:49

Por Ernest Scheyder

HOUSTON, Texas (Reuters) - O furacão Laura chegou em terra firme na manhã desta quinta-feira no sudoeste da Louisiana como uma das tempestades mais fortes a atingirem o Estado norte-americano, e meteorologistas alertaram que ele pode empurrar um paredão de água do mar 64 quilômetros terra adentro.

O Laura chegou ao continente pouco antes da 1h como um furacão de categoria 4 com ventos de 240 quilômetros por hora na pequena cidade de Cameron, na Louisiana, disse o Centro Nacional de Furacões (NHC).

Ele regrediu rapidamente para a categoria 2 na manhã desta quinta-feira, com ventos contínuos máximos de 168 quilômetros por hora, ao rumar para o norte e se abater sobre o sudoeste da Louisiana, uma região pantanosa particularmente sujeita a marés de tempestade e inundações.

Além de ameaçar vidas, a tempestade estava seguindo para o centro da indústria petroleira norte-americana, obrigando plataformas e refinarias a interromperem a produção.

Os ventos do Laura assolaram Lake Charles, na Louisiana, a noite toda, arrancando telhados de edifícios e estraçalhando janelas de vidro, como mostraram vídeos publicados no Twitter.

A cidade de 78 mil habitantes teve ventos contínuos de 137 quilômetros por hora e rajadas de até 206 quilômetros por hora uma hora depois de tocar o solo, disse o NHC.

"Esta é uma das tempestades mais fortes a impactarem esta seção do litoral", disse David Roth, meteorologista do Serviço Nacional do Clima. "Temos receio de esta maré de tempestade avançar tanto terra adentro porque é basicamente só pântano ao norte da Interestadual 10. Não há muita coisa para deter a água."

Autoridades de toda a área duramente atingida disseram que várias horas transcorrerão até poderem iniciar missões de busca e resgate. As árvores caídas bloqueando estradas devem ser o maior desafio imediato para as equipes de resgate.

"Maré de tempestade catastrófica, ventos extremos e inundações relâmpago continuam em porções da Louisiana", informou o NHC em um boletim emitido na manhã desta quinta-feira.

A cidade refinadora de Port Arthur se situa pouco a oeste de onde o Laura se abateu. A localidade de 54 mil habitantes era uma cidade-fantasma no final de quarta-feira, e só um par de postos de combustível e uma loja de bebidas permaneciam abertos.

Cerca de 620 mil pessoas receberam ordens de retirada obrigatória na Louisiana e no Texas.

O Laura também pode desencadear tornados nesta quinta-feira na Louisiana, Arkansas e oeste do Mississippi e deve despejar entre 15 e 30 centímetros de chuva na região, disse o NHC.

(Por Ernest Scheyder e Julio-Cesar Chavez em Port Arthur; Jennifer Hiller e Gary McWilliams em Houston; Gabriella Borter em Nova York e Brad Brooks em Lubbock, Texas)

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.