Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Processo de retirada conduzido pelas forças armadas dos EUA, em preparação para passagem do furacão Maria pelas Ilhas Virgens, no Mar do Caribe 18/09/2017 REUTERS/Jonathan Drake

(reuters_tickers)

Por Richardo Ortiz

PONCE, Porto Rico (Reuters) - O furacão Maria, a segunda grande tempestade a atingir o Caribe neste mês, avançou em direção às Ilhas Virgens norte-americanas e Porto Rico, nesta terça-feira, depois de assolar a pequena nação-ilha de Dominica, causando devastação generalizada.

Maria, uma tempestade "extremamente perigosa", voltou à categoria 5, a mais elevada na escala de intensidade, ao passar cerca de 325 quilômetros a sudeste de St. Croix, nas Ilhas Virgens, com ventos constantes de 260 km/h, de acordo com o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC).

A tempestade se abateu sobre Dominica, nação-ilha de 72 mil habitantes no leste caribenho, no final de segunda-feira e provocou devastação generalizada, disse o primeiro-ministro, Roosevelt Skerrit, no Facebook.

"Honestamente, não estou preocupado com o dano físico neste momento, porque é devastador... de fato, chocante. Meu foco agora está em resgatar os que estão retidos e providenciar assistência médica para os feridos", disse.

Com ventos contínuos máximos de 250 km/h, a tempestade atingiu a ilha na condição de furacão de categoria 5, disse o NHC.

"Os ventos arrancaram os telhados de quase todas as pessoas com as quais conversei ou fiz contato", disse Skerrit. "O telhado da minha própria residência oficial foi um dos primeiros a serem levados, e isto aparentemente desencadeou uma avalanche de telhados arrancados na cidade e no interior".

Embora a intensidade do furacão possa variar no próximo dia ou dois, Maria deve continuar como uma tempestade de categoria 4 ou 5 na escala Saffir-Simpson, segundo o NHC, sediado em Miami.

A tempestade parece estar rumando para o nordeste do mar do Caribe, e até a noite desta terça-feira ou o início da quarta-feira deve se aproximar das Ilhas Virgens e de Porto Rico, onde milhões ainda se recuperam da passagem do furacão Irma no início deste mês.

Se Maria mantiver sua força, será o furacão mais intenso a atingir Porto Rico em 85 anos, depois que uma tempestade de categoria 4 varreu o território norte-americano em 1932, disse Dennis Feltgen, porta-voz do NHC. O último grande furacão a assolar Porto Rico diretamente foi o Georges, que chegou à ilha como uma tempestade de categoria 3 em 1998, disse ele.

O governador de Porto Rico, Ricardo Rossello, exortou os moradores da ilha no Twitter a se prepararem para a vinda da tempestade, e o governador das Ilhas Virgens dos EUA, Kenneth Mapp, disse que Maria deve passar a cerca de 16 quilômetros da ilha de St. Croix, que foi poupada dos piores impactos do furacão Irma em 6 de setembro. A ilha abriga cerca de 55 mil moradores permanentes, cerca de metade da população total do território.

Maria é a 13ª tempestade batizada do Atlântico neste ano, o sétimo furacão da temporada até o momento e o quarto grande furacão após as passagens de Harvey, Irma e José, segundo o NHC.

(Reportagem adicional de Robert Edison Sandiford em Bridgetown, Barbados, Harriet McLeod em Charleston, Carolina do Sul e Brendan O'Brien em Milwaukee)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters