Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Homem que supostamente seria Kim Jong Nam, meio irmão do líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, durante embarque em aeroporto no Japão. 04/05/2001 REUTERS/Eriko Sugita/File Photo

(reuters_tickers)

Por Rozanna Latiff e Emily Chow

KUALA LUMPUR (Reuters) - O gás nervoso VX, um agente químico que a Organização das Nações Unidas (ONU) classifica como arma de destruição em massa, foi usado para matar o meio irmão do líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, em um assassinato cometido na Malásia na semana passada, informou a polícia nesta sexta-feira.

Kim Jong Nam foi morto no dia 13 de fevereiro, pouco depois de ser atacado no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur, a capital malaia, por duas mulheres que lançaram o agente químico em seu rosto quando ele se preparava para embarcar em um voo para o território chinês de Macau.

Autoridades da Coreia do Sul e dos Estados Unidos disseram acreditar que agentes norte-coreanos assassinaram Kim Jong Nam. Ele estava morando com a família em Macau com a proteção de Pequim e havia se manifestado contra o regime da Coreia do Norte.

A polícia da Malásia está investigando se o VX – que se acredita ser o gás nervoso mais tóxico conhecido e cujo uso só é permitido para pesquisas – foi levado ao país ou fabricado nele.

"Se a quantidade do agente químico trazida foi pequena, seria difícil para nós detectar", disse o chefe de polícia, Khalid Abu Bakar, aos repórteres.

As duas mulheres suspeitas, uma vietnamita e uma indonésia, estão detidas pela polícia, assim como um norte-coreano. Sete outros norte-coreanos são procurados por sua ligação com o caso, inclusive um diplomata da embaixada em Kuala Lumpur.

A Malásia vem pedindo à família da vítima reiteradamente para se manifestar para ajudar o inquérito, e Pyongyang exigiu que o corpo seja enviado diretamente à sua embaixada, provocando tensão entre os dois países, cujas relações são normalmente amigáveis.

A unidade de análise de armas químicas da Malásia encontrou vestígios de VX, ou S-2 Diisopropilaminoetil metilfosfonotioato, em amostras retiradas do olho e do rosto da vítima, de acordo com a polícia.

"Outras provas estão sendo analisadas", disse Khalid em um comunicado, citando um relatório preliminar.

A polícia afirmou que as duas mulheres foram pagas para realizar o ataque e que foram instruídas a lavar as mãos antes de fugirem do aeroporto. Elas ensaiaram a ação em um shopping center antes de atacarem Nam.

Uma delas sofreu os efeitos do agente químico e teve vômitos, relatou Khalid.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters