Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

CABUL (Reuters) - O principal comandante militar dos Estados Unidos no Afeganistão, o general John W. Nicholson, disse nesta sexta-feira que a decisão de usar uma das maiores bombas convencionais já empregadas em combate foi puramente tática e parte de uma campanha contra combatentes ligados ao Estado Islâmico.

Até 36 possíveis militantes do Estado Islâmico foram mortos pelo ataque da noite de quinta-feira, disseram autoridades de defesa do Afeganistão, acrescentando não ter havido baixas civis.

O ataque ocorreu no momento em que o presidente dos EUA, Donald Trump, envia sua primeira delegação de alto nível a Cabul e em meio à incerteza sobre seus planos para os cerca de 9 mil soldados norte-americanos baseados no Afeganistão. 

Apelidada de "a mãe de todas as bombas", a arma foi lançada por uma aeronave MC-130 no distrito de Achin, da província de Nangarhar, situada no leste do país e na fronteira com o Paquistão.

Nicholson disse estar em comunicação constante com autoridades de Washington, mas a decisão de lançar a bomba GBU-43 de 9.797 quilos foi baseada em sua avaliação das necessidades militares, e não em considerações políticas mais abrangentes.

"Esta foi a primeira vez em que encontramos um obstáculo amplo para nosso progresso", disse ele a respeito de uma operação conjunta entre o Afeganistão e os EUA que tinha como alvo o Estado Islâmico desde março. "Era a hora certa de usá-la taticamente contra o alvo certo no campo de batalha".

Forças afegãs e norte-americanas estavam no local do ataque e relataram que a "arma atingiu seu objetivo pretendido", de acordo com Nicholson.

O porta-voz do Ministério da Defesa afegão, Dawlat Waziri, disse que nenhum civil foi ferido pela enorme explosão, que alvejou uma rede de cavernas e túneis repletas de minas.

"Nenhum civil foi ferido e só a base, que o Daesh (Estado Islâmico) usava para lançar ataques a outras partes da província, foi destruída", disse Waziri em um comunicado.

O grupo estabeleceu um pequeno bastião em solo afegão e já realizou atentados fatais na capital, Cabul.

O GBU-43 é um armamento teleguiado por GPS que nunca havia sido usado em combate desde seu primeiro teste, em 2003. Em um vilarejo a cerca de 5 quilômetros da área remota e montanhosa na qual a bomba foi lançada, moradores disseram ter visto militantes subindo e descendo a montanha todos os dias.

(Por Hamid Shalizi e Josh Smith)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters