Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Mirwais Harooni

CABUL (Reuters) - O governo afegão prendeu nesta segunda-feira um general sênior por acusações de corrupção, um ano após ele ter sido designado para reprimir fraudes e outros negócios obscuros em um batalhão na província de Helmand.

O general Mohammad Moeen Faqeer foi detido sob acusação do Centro de Justiça Anticorrupção da Procuradoria-Geral, informou o porta-voz do Ministério da Defesa Dawlat Waziri em comunicado. O porta-voz não forneceu mais detalhes.

Faqeer fora designado para assumir o comando do 215º Corpo do Exército afegão em Helmand no início de 2016, depois que o comandante anterior se envolveu em questões sobre pagamentos indevidos a "soldados fantasmas", além de preocupações sobre o desempenho da unidade no campo de batalha.

Na época, um porta-voz militar dos Estados Unidos disse que o Pentágono estava "muito, muito impressionado" com Faqeer, dizendo que ele estava pessoalmente comprometido "em dar a volta por cima" no 215º Corpo do Exército.

Menos de um ano depois, no entanto, com poucas explicações, Faqeer acabou sendo substituído do cargo em outubro.

O presidente afegão, Ashraf Ghani, prometeu reiteradamente combater a corrupção, que é frequentemente apontada como um dos maiores desafios do país.

Ghani tem enfrentado críticas devido à continuidade dos altos níveis de fraude, mas novas unidades como o Centro de Justiça Anticorrupção lentamente começaram a combater as irregularidades cometidas por funcionários de alto escalão.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters