Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Julio Borges, fala com repórteres em Caracas 05/11/2017 REUTERS/Marco Bello

(reuters_tickers)

CARACAS (Reuters) - O governo e a oposição da Venezuela retomarão uma tentativa de estabelecer um processo de diálogo com o qual os adversários do presidente Nicolás Maduro disseram que buscarão condições melhores antes das eleições presidenciais previstas para o próximo ano.

Esta é a terceira vez em que as partes tentam se sentar e conversar para aliviar as tensões políticas e econômicas profundas que afligem o país. Os dois processos anteriores, um deles amparado pelo Vaticano em 2016, não deram resultados.

Em setembro a oposição abandonou o diálogo alegando que o governo socialista não contemplou nenhuma de suas exigências, como a libertação de centenas de "presos políticos", a abertura de um canal humanitário e garantias eleitorais.

"Desenvolvemos e estendemos todas nossas relações a nível de América Latina para construir a possibilidade de que, com países e governos amigos, possamos ter uma facilitação para obter condições para poder ir a uma eleição presidencial", disse na quinta-feira a repórteres o presidente da Assembleia Nacional, liderada pela oposição, Julio Borges.

Os críticos de Maduro argumentam que o governo usou sua influência sobre a autoridade eleitoral para manipular os resultados, como em votações estaduais recentes nas quais os candidatos do partido governista predominaram.

(Por Eyanir Chinea)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters