Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sanchez, anuncia novos membros de seu gabinete no Palácio Moncloa, em Madrid 06/06/2018 REUTERS/Susana Vera

(reuters_tickers)

MADRI (Reuters) - O novo governo da Espanha disse estar aberto a transferir separatistas catalães presos para mais perto de casa, no último gesto de boa vontade para tentar resolver a crise de secessão através do diálogo. 

O gabinete suspendeu os controles financeiros sobre a Catalunha na semana passada e disse que estaria aberto a negociar com o governo regional. 

O primeiro-ministro Pedro Sanchez deve se encontrar com o líder regional catalão Quim Torra em breve, a primeira reunião depois de muitos anos. 

O impulso separatista da Catalunha é um dos assuntos mais espinhosos diante de Sanchez, que subiu ao poder após derrubar o ex-mandatário de centro-direita Mariano Rajoy no mês passado após uma moção de censura. 

Embora pareça ser mais aberto ao diálogo que seu antecessor, Sanchez já deixou claro que se opõe a qualquer referendo de independência ou tentativa de separação. 

Nove membros do antigo governo catalão e chefes de grupos de base foram presos, aguardando julgamento por sua participação em uma tentativa de independência, proibida pela Constituição.

Eles estão em prisões perto de Madri, a centenas de quilômetros de distância de suas casas, e têm solicitado repetidamente uma transferência para prisões na Catalunha.

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447702)) REUTERS AC

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










Reuters