Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Trump caminha entre bandeiras jogadas por manifestantes no Congresso 24/10/2017 Reuters/Joshua Roberts

(reuters_tickers)

Por Mica Rosenberg e Yeganeh Torbati

NOVA YORK/WASHINGTON (Reuters) - O governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, exigirá que todos os refugiados forneçam informações sobre seu paradeiro na década anterior, o dobro do que se cobrava antes, durante as verificações de concessão de entrada no país a partir de quarta-feira, de acordo com um documento do Departamento de Estado visto pela Reuters.

O governo dos EUA também está adotando uma medida que, segundo defensores dos refugiados, na prática interromperá a acolhida da maioria dos refugiados homens e adultos de 11 países, além de alguns palestinos, para os quais um tipo de verificação de segurança avançada será exigido a partir de agora.

O governo instruiu as organizações que registram refugiados no exterior a não apresentarem solicitações para este tipo de verificação, conhecida como Opinião de Aconselhamento de Segurança, até que as novas diretrizes sejam enviadas.

As alterações, que segundo o memorando entrarão em vigor na quarta-feira, chegam ao final de uma proibição de 120 dias à entrada da maioria dos refugiados, ordenada por Trump para uma revisão dos processos de verificação. Os 120 dias terminam nesta terça-feira.

Trump tomou posse em janeiro com o objetivo de reduzir drasticamente o ingresso de refugiados, meta alinhada às políticas de imigração rígidas que tiveram destaque na campanha eleitoral do republicano em 2016. Ele logo emitiu decretos proibindo temporariamente a entrada de refugiados e viajantes de alguns países do Oriente Médio e da África que foram contestados nos tribunais.

Os opositores das proibições argumentam que as políticas almejam barrar muçulmanos nos EUA. O governo negou qualquer intenção de discriminar e afirmou que suas restrições de viagem e medidas de segurança visam proteger o país de atos terroristas.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters