Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

WASHINGTON (Reuters) - A Grã-Bretanha está perto de identificar um homem, que acredita-se ser britânico, que foi mostrado decapitando o jornalista americano James Foley em um vídeo divulgado pelo grupo militante Estado Islâmico na semana passada, disse o embaixador britânico nos Estados Unidos, Peter Westmacott, à CNN.

"Estamos perto" de identificar o homem no vídeo, Westmacott disse ao programa "State of the Union", da CNN, no domingo.

"Estamos colocando muitos esforços nisso", disse ele, incluindo o uso de tecnologia de reconhecimento de voz para rastrear o assassino.

As autoridades britânicas estão tentando identificar o homem, que tem um sotaque londrino e foi apelidado de "Jihadi John" pela mídia britânica. A figura mascarada decapitou Foley em um vídeo divulgado na terça-feira e também ameaçou um segundo jornalista americano capturado, Steven Sotloff.

Foley foi sequestrado na Síria em novembro de 2012; Sotloff foi sequestrado em 2013.

Westmacott disse que o problema "vai além de um criminoso horrendo."

"Acredita-se que talvez até 500 súditos britânicos foram para a Síria e o Iraque para esta causa da jihad", disse ele.

(Reportagem de Eric Beech)

Reuters