Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

GENEBRA (Reuters) - O vírus da gripe H1N1 se movimenta para o leste passando pela Europa e Ásia depois de aparentemente ter atingido seu pico em partes da Europa ocidental e nos Estados Unidos, disse a Organização Mundial da Saúde nesta sexta-feira.
Pelo menos 6.770 mortes foram registradas ao redor do mundo desde que a gripe H1N1 apareceu em abril deste ano, segundo último relatório da OMS. Deste total, 520 foram registradas na última semana.
Existem "sinais incipientes de um pico da atividade da doença em algumas áreas do norte do hemisfério", afirmou a OMS.
A gripe H1N1 continua difundida nos Estados Unidos, embora ela pareça ter recentemente atingido seu máximo em várias áreas exceto o nordeste. Mas a transmissão continua se intensificando no Canadá, onde crescem as consultas médicas de crianças.
Segundo o relatório, Noruega e países ao leste, incluindo Georgia, Lituânia e Sérvia estão registrando rápido crescimento de doenças respiratórias.
Cazaquistão, Uzbequistão e partes do Afeganistão --particularmente Cabul-- estão registrando altos números de casos de gripe. Israel também registra rápido crescimento.
"Essencialmente, o que está acontecendo é que ela está expandindo ao leste", afirmou Anthony Mounts, médico epidemiologista da OMS à Reuters.
"Tipicamente, gripe sazonal sempre começa no oeste e se move para o leste. Parece que está seguindo este padrão, exceto que está vindo mais cedo este ano".
A transmissão da gripe permanece ativa no leste da Ásia, disse a OMS. A maioria dos países em áreas tropicais da América Central e do Sul continua registrando números decrescentes em casos de gripe, com exceção da Colômbia e do Peru.
(Reportagem de Stephanie Nebehay)

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters