Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Joseph Guyler Delva
PORTO PRÍNCIPE (Reuters) - O economista Jean-Max Bellerive tomou posse na quarta-feira como primeiro-ministro do Haiti e disse que vai se empenhar em convencer doadores de que o país está preparado para receber investimentos privados que resultem na criação de empregos.
As nações doadoras prometeram em abril 324 milhões de dólares durante dois anos para ajudar na reconstrução do país caribenho, o mais pobre e um dos mais vulneráveis das Américas. O dinheiro, porém, tem se materializado muito lentamente.
Bellerive disse a jornalistas que espera convencer os doadores de que "o Haiti mudou, que o Haiti está pronto para se abrir ao investimento privado, que o Haiti está pronto para oferecer relatórios sobre sua responsabilidade, sua transparência."
O novo premiê substitui Michele Pierre-Louis, demitida pelo Senado em 30 de outubro por não ter conseguido melhorar a situação econômica do país nem se empenhado suficientemente na reconstrução depois de uma série de furacões e tempestades em 2008.
Ao tomar posse no Palácio Nacional, Bellerive disse que a criação de empregos será a sua "prioridade absoluta".
"O Haiti continuará trabalhando com todos os parceiros e com todas as pessoas que acreditam na estabilidade e que acreditam que a única forma pela qual iremos mudar o Haiti é por meio do investimento privado e por meio da criação de empregos no Haiti", afirmou ele posteriormente a jornalistas.
O país tem um longo histórico de violência e instabilidade, mas nos últimos tempos vive uma relativa calma, em parte graças à contínua presença de tropas de paz da ONU.
As propostas de Bellerive foram elogiadas pela recém-criada Fundação Haitiana do Desenvolvimento Econômico.
"Nossa comunidade empresarial está satisfeita por ver que o foco do sr. Bellerive será continuar aprofundando esta direção pró-empresas, encorajada pelo presidente René Préval", disse o presidente da entidade, Youri Mevs.
"A assistência humanitária ao nosso país é de fato crucial, mas a expansão do setor empresarial a fim de criar empregos é a solução de longo prazo que mais irá impactar o futuro da nossa gente."
Bellerive já havia sido ministro de Planejamento e Cooperação Externa de Préval, além de ocupar cargos públicos sob pelo menos seis diferentes primeiros-ministros nas últimas duas décadas.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters