Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por John Davison

BEIRUTE (Reuters) - O grupo xiita libanês Hezbollah e o exército sírio lançaram ofensiva contra militantes sunitas neste sábado, no segundo dia de ataques coordenados para expulsá-los da última posição que ainda ocupam na fronteira entre Síria e Líbano, disse a mídia pró-Damasco. 

A operação teve como alvos os insurgentes muçulmanos sunitas da antiga Frente Nusra, um grupo que era alinhado com a Al Qaeda e que controlava a área montanhosa de Juroud Arsal.

Um veículo de mídia militar administrado pelo Hezbollah informou que suas forças capturaram uma área estratégica das montanhas denominada Dhahr al-Huwa, anteriormente uma base importante da Frente Nusra, o que lhes permitiu supervisionar vários cruzamentos de fronteira na área.

O Hezbollah havia confiscado anteriormente Jwar al Sheikh, Wadi Kriti e outras áreas na parte sul de Juroud Arsal.

Apoiado pelo governo xiita do Irã, o Hezbollah desempenhou função importante em campanhas anteriores contra os rebeldes sunitas na fronteira do Líbano, parte de seu papel mais amplo que é de apoio ao presidente Bashar al-Assad na guerra síria.

A ação do Hezbollah atraiu críticas de opositores políticos libaneses, incluindo o primeiro-ministro Saad al-Hariri, que é sunita.

Uma filmagem no canal de televisão Al Manar, do Hezbollah, mostrou combatentes nas montanhas com rifles e mísseis guiados. O veículo também informou que alguns combatentes da Frente Nusra levantaram bandeiras brancas ao se renderem.

As chances de qualquer negociação com os militantes parecem pequenas desde que o mediador e ex-vice-prefeito de Arsal, Ahmed al-Fliti, foi morto por combatentes da Frente Nusra, informou a Agência Nacional de Notícias do Líbano.

O foguete lançado pela Frente Nusra atingiu o carro de al-Fliti, matando-o e ferindo outro passageiro. As negociações anteriores não garantiram a retirada dos militantes de Juroud Arsal para outras partes da Síria controladas por rebeldes.

A ofensiva começou na sexta-feira e matou pelo menos 23 militantes da Frente Nusra no primeiro dia, disse o Hezbollah. Pelo menos cinco combatentes do Hezbollah também foram mortos.

Uma fonte de segurança estimou em 15 o número de mortos do Hezbollah no início do sábado e disse que pelo menos 43 rebeldes foram mortos.

(Reportagem adicional de Ahmed Tolba em Cairo)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










Reuters